terça-feira, 8 de maio de 2012

HISTORIAS REAIS DE SOBREVIVÊNCIA, APRENDA COM ELES !


Pessoas em situações extremas de sobrevivência

Gostaria de compartilhar informações sobre pessoas comuns que resistiram
a situações extremas de sobrevivência. Tecnicamente, talvez não sejam “heróis” ou “gênios” da raça para serem lembrados nos anais da história, mas podem cativar, inspirar, assim como as lendas mitológicas e a literatura fantástica, os sacrifícios de combatentes anônimos em guerras passadas, ou os feitos de líderanças célebres.

Relatos de sobrevivência mostram como no momento mais crítico se consegue potencializar ao máximo a intuição, o instinto, a astúcia e a coragem. São motivacionais para quem não vê sentido na vida.

Há um programa da Discovery Channel - Sobrevivi, que remete a esta proposta, reconstituindo casos verídicos de gente que se perdeu na natureza por vários dias, ou que sofreu acidentes em locais remotos. Há alguns episódios disponíveis no Youtube.

Vou lembrar dos casos mais conhecidos de sobrevivência;

Aron Ralston - Um montanhista americano que sofreu um acidente nas rochas do Grand Canyon em Utah. Uma pedra grande caiu e esmagou seu braço, e então, sem qualquer meio de pedir socorro, foi obrigado a amputar o próprio braço para sair com vida. Segundo Aron, nos dias do acidente ele tivera alucinações com uma criança(que parecia ser seu filho) que o sustentou a ter vontade de viver, anos depois nascia seu filho. A história é contada no filme “127 horas” e na autobiografia com título homônimo no Brasil.




Joe Simpson e Simon Yales - Alpinistas que lidaram com uma avalanche na Cordilheira dos Andes peruana na ascensão do pico de Siula Grande. Simpson foi ferido na perna e não podia manter-se, o colega desceu para olhar mas com um golpe de ar Simpson ficou pendurado no ar. Para sobreviver Simon Yales cortou a corda e pensou que seu colega havia morrido. No entanto, Simpson caiu em uma fenda e foi capaz de descer lentamente a montanha até o acampamento base. Baseado nos relatos foi gravado o documentário “Touching the Void”.




Bethany Hamilton - Descobriu o surf com os pais surfistas aos 4 anos de idade. Numa manhã de 2003, aos 13 anos, foi atacada por um tubarão no Havaí, que atacou e arrancou um braço. Determinada, 10 semanas após o acidente voltou a prática de surf. Aprendera a nadar com um braço e a usar uma prancha adequada artesanal um pouco mais grossa. É contado num filme-documentário de ótima qualidade “Coragem de Viver/Soul Surfer” com cenas reais da Bethany surfando.



Voo 571 da Força Aérea Uruguaia – Avião que em 1972 transportava 45 pessoas e caiu na Cordilheira dos Andes do lado chileno. Até o final haveria somente 16 sobreviventes que tiveram que praticar canibalismo, suportar avalanche e lidar com várias decisões difíceis no decorrer de 72 dias. É uma das histórias de sobrevivência mais documentadas, com diversos filmes, livros, relatos.



Beck Weathers – Um dos sobreviventes do desastre de 1996 no Monte Everest que matou oito pessoas. Após uma tempestade Beck foi visto caido na neve pelos demais sobreviventes que deduziram que ele já estivesse morto. Mesmo com severo estado de congelamento e cegueira temporária ele conseguiu recobrar os sentidos para rastejar até conseguir encontrar o acampamento. Devido a necrose teve que amputar dedos e parte da mão, além de reconstruir cirurgicamente o nariz. Há dois pontos de vista escritos sobre o desastre, a obra “A Escalada” do guia russo Anatoli Boukreev e “No Ar Rarefeito” do jornalista John Krakauer, a primeira mais técnica, a segunda engloba o histórico do alpinismo.



Alexander Silkirk – Marinheiro escocês que no início do século 18 passou 4 anos sozinho numa ilha deserta, atualmente a ilha de Juan Fernandez na costa do Chile, até ser resgatado por uma embarcação inglesa em 1709. Geralmente é referido que seu relato de sobrevivência inspirou a ficção de Daniel Defoe, “Robinson Crusoé”. Em portugues recomendo a obra “A Verdadeira História de Robinson Crusoé”(Editora Ediouro)




Baleeiro Essex – Naufragou em 20 de novembro de 1820 após o ataque de uma baleia cachalote. Os marinheiros organizaram-se em 3 botes, com mantimentos que poderiam durar 60 dias. A terra firme mais próxima era o Arquipélago das Marquesas cerca de 1,900km a oeste de sua posição mas na época acreditava-se que seus habitantes praticavam canibalismo. No dia 20 de Dezembro encontraram a Ilha Henderson mas depois de 7 dias a tripulação decidiu que o lugar não tinha recursos alimentares para sustentá-los e voltaram-se para o mar aberto. Em Janeiro começaram a morrer sobreviventes nos botes, geralmente por inanição, e os demais cederam ao canibalismo(ironicamente, haviam medo de encontrar canibais, mas acabaram se tornando!). O capitão George Pollard e outros, incluindo 3 membros que ficaram na Ilha Henderson, foram resgatados e levados para o Chile. A história inspirou a ficção mundialmente conhecida “Moby Dick”.




Dieter Dengler – Piloto da marinha americana que foi feito prisioneiro no Laos durante a Guerra do Vietnã. Após conseguir escapar ficou três semanas fugindo pela floresta até ser resgatado em 20 de julho de 1966. Ele escreveu, ainda sem edição em português “Escape from Laos”, e é baseado na sua história a película “O Sobrevivente/Rescue Dawn”.



Heinrich Harrer – Montanhista austríaco que tornou-se membro da SS. Em 1938 parte numa expedição alemã ao Nanga Parbat nos Himalaias. Com o início da Segunda Guerra foi capturado pelos ingleses até que em 1944 foge, junto de Peter Aufschnaiter, e após 21 meses em fuga conseguiu atravessar as altas montanhas até ao Tibet, onde ficou durante sete anos, tendo estabelecido amizade com o jovem Dalai Lama e sendo seu professor. Relatado tanto em livro e filme “Sete anos no Tibet”.
                                              terceiro da esquerda para a direita.


                                                                 Foto atual deles


Outros que merecem nota são Eric Lemarque, Steve Callahan. Há uma porção de relatos de sobreviventes... Dias atrás foram noticiados a americana que caiu de um penhasco e sobreviveu por dias comendo insetos e o homem que sobreviveu por 18 horas boiando à deriva após a queda de um avião.